Seja Bem vindo ao site Tudo sobre Cães. Aqui você encontra tudo sobre Cães, Raças, Fotos de Cachorrinhos, Adoção, Desaparecidos, Cachorros Famosos, Noticias sobre cachorros, Dicas de segurança na internet e um exclusivo sistema de busca mais lindo do mundo! Busque, procure o que quiser, imóveis, carros, serviços em geral,empregos qualquer coisa... em casa, no serviço, em qualquer lugar... Faça como milhares de pessoas!! Faça de nosso buscador a sua fonte de pesquisas diária.
Adicione o site em seus favoritos.
E não se esqueça de contar a todos!!

Nosso site está com um novo mascote, o Tob! Já brincou com ele?

Cachorros Na Busca cada dia mais Completo!

Brinque com Tob!

Se não achou? O google acha!!!

Pesquisa personalizada

Procure no Mercado livre!

Mostrando postagens com marcador Informações de raças. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Informações de raças. Mostrar todas as postagens

Raças de cães - Chow Chow





História do Chow-chow

É um tipo único de cão, pensa-se que é uma das mais antigas raças conhecidas. Um baixo-relevo de 150 a.C. (durante a Dinastia Han) possui um cão de caça similar em aparência com o Chow Chow. Análises de DNA recentes confirmam que é uma das mais antigas raças de cães. Chow Chows foram originalmente ensinados com o propósito de serem cães de pastoreio, caça, e guarda. A raça também foi usada para puxar trenós e pela carne e pele.



Aparência do Chow-chow

O Chow Chow é um cão robusto com uma cabeça larga e orelhas pequenas e arrendondadas. A raça tem um pêlo bastante denso, que é ao mesmo tempo liso e resistente. A pele é particularmente grossa ao redor do pescoço, dando a aparência de uma juba. O pêlo pode ser um entre várias cores, incluindo marrom-avermelhado (descrito como "vermelho"), preto, azul, canela, creme(ou branco). Nem todas as variedades de cores são reconhecidas e válidas em todos os países. Indivíduos malhados ou multicoloridos são considerados fora do padrão da raça. Chow Chows são incomuns por possuírem uma língua preto-azulada e pernas bastante retas que resultam em um andar um tanto empolado.

Temperamento do Chow-chow

Normalmente mantido como um cão de companhia, o Chow Chow tem uma reputação de ser uma raça teimosa e independente e às vezes difícil de se treinar. Eles têm a reputação de serem agressivos, podem ser bastante indiferentes com estranhos e freqüentemente não se dão bem com outros cães.(muito raramente) Os chow chows são cães carinhosos devido a esse temperamento, muitas vezes mal interpretado, o Chow Chow, deve desde cedo, assim que liberado pelo veterinário, iniciar um trabalho de sociabilização, onde outras pessoas, cães e mesmo gatos devem fazer parte de seu convívio diário, sendo que no caso de animais, principalmente no início, a convivência deve ser supervisionada. Vale ressaltar que assim como nos seres humanos, cada animal possui seu próprio e único temperamento, que deverá ser sempre levado em consideração.



Saúde do Chow-chow

Como muitos cães grandes, o Chow Chow tem propensão a displasia da bacia. Também pode ser suscetível à entropia, uma irritação no olho causada por uma anormalidade nas pálpebras. O Chow Chow, apesar de ser um cão rústico, necessita de cuidados, principalmente com relação à pelagem, que incluem a escovação rotineira. A escovação deve fazer parte da rotina do cão e seu dono, além de manter o animal com aspecto bonito a escovação regular minimiza o risco de problemas de pele (hot spots). A alimentação é outro fator essencial para a saúde de seu cão. Alimenta-lo apenas com ração de qualidade é um investimento que retornará dividendos em forma de saúde do seu cão. Consulte sempre um veterinário e obtenha informações sobre a ração mais adequada ao seu animal.

Lendas

Conta uma antiga lenda chinesa que quando foi criado o mundo, a um cão, permitiu-se lamber os fragmentos do firmamento caídos na terra ao serem as estrelas colocadas no seu lugar. Esse cão foi o Chow-Chow, é por isso que ele tem a língua azul.

Curiosidades do Chow-chow

Algumas pessoas confundem o Chow-Chow com um leão.

CHOW CHOW - raça de cães originada da China, onde é chamada de Songshi Quan (鬆獅犬 Pinyin: sōngshī quǎn), que significa literalmente "cão leão-empolado". A raça também é chamada de Tang Quan, "Cão da Dinastia Tang".


País de origem China

Padrão FCI
Grupo: 5
Seção: 5
Spitzs asiáticos e raças semelhantes Número #205 - 24/06/1987


Fotos




Papel De Parede



Videos
video

video

Pesquisa personalizada

Raças de cães - Chihuahua





História do Chihuahua

São considerados serem descendentes de uma antiga, parecida, porém um pouco maior raça associada com a realeza da civilização Asteca conhecidada como os Techichi. É a raça mais antiga da América do Norte. Originário do México (o seu nome é de uma província mexicana), parece, todavia, que lá foi introduzido pelos chineses. Foi importado na Europa apenas no final do século XIX.

Descrição do Chihuahua

A estatura está compreendida entre 16-22cm e é proporcional ao peso, que vai de 500 gr. a 3 Kg. Os tamanhos menores são os mais apreciados. Tem um crânio em forma de maçã, com o focinho curto e pontudo, olhos redondos; orelhas grandes que se erguem quando alerta; corpo compacto, mais comprido do que alto; cauda mantida curvada sobre o dorso ou de lado. As cores mais freqüentes são o fulvo-claro, o areia, o marrom, o prateado e o azul-aço; a pelagem pode ser unicolor ou malhada.

Aparência do Chihuahua

Existem duas variedades, o pêlo longo e o pêlo curto. Os chihuahuas podem ter várias cores e são conhecidos pelas suas grandes orelhas em pé. Filhotes de chihuahuas às vezes são confundidos com hamsters por causa das suas caras apertadas, tamanho extremamente pequeno e pêlo claro.

Temperamento do Chihuahua

São conhecidos pela sua personalidade e lealdade, mas não são recomendáveis para as crianças por causa do seu tamanho e pela fragilidade. No entanto, sua agilidade, inteligência e tamanho os fazem adaptáveis a vários ambientes, inclusive cidades e apartamentos. Negativamente, podem estar propensos à serem cortiçosos e muito nervosos. Muitos chihuahua tendem a focalizar seu amor e devoção à uma pessoa apenas, tornando-se extremamente ciumentos aos relacionamentos daquela pessoa. Por fim, os Chihuahua tem um temperamento dócil, só não tente irritá-lo!

Saúde do Chihuahua

Essa raça requer atenção de um bom veterinário em áreas como o nascimento e cuidado dental. Também são propensos à algumas anomalias genéticas, muitas vezes neurológicas, como convulsões e luxações na rótula. São sensíveis à infecções no olho. Também são conhecidos por terem buracos no crânio (veja molera em inglês).

Curiosidades do Chihuahua

O Chihuahua é a menor raça de cães do mundo. Seu nome vem da região de Chihuahua no México.
Pesquisa personalizada

Raças de cães - Beagle




Cão de origem inglesa do tipo sabujo, de porte médio, onde até hoje é usado em caça à lebre e à raposa. Tem entre 33 e 45 cm de altura, pelagem típica de hound, ou seja, branco, preto e um tom avermelhado, podendo ainda ser bicolor sendo elas:Preto e marron e Preto com branco apesar de ser raros O uso como animal de estimação doméstico é muito comum atualmente. O beagle é um cão muito ativo, extremamente dócil e, quando filhote, muito chorão. Necessita fazer exercícios diariamente, pois tem tendência a engordar. Apesar de ser pequeno, é um cão ágil, usado para a caça. É ideal para casas com crianças, porque não se cansa de brincar com elas e jamais se torna agressivo. Adapta-se bem a apartamentos desde que possa disponibilizar cerca de meia hora por dia para ele correr em algum lado. É preciso ter cuidado visto ele ser um cão extremamente guloso, porque vai atrás de qualquer pessoa que lhe mostre comida. Não é bom para cão de guarda uma vez que adora toda a gente. Pode ladrar bastante se julgar que alguma coisa está errada. Na literatura, o beagle mais famoso é certamente Snoopy.

História do Beagle
O Beagle é uma raça inglesa muito antiga, mencionada no século III pelo bardo escocês Ossian. Foi altamente privilegiada nos reinados do rei Henrique VIII e da rainha Elizabeth I. Nessa época eram descritas três variedades: O do sul, o maior deles, com pelagem branca e preta.O do norte, de tamanho médio.O pequeno, menos de 35 cm de altura, o beagle Isabel, também conhecido como "cantor" por causa da sua voz melodiosa. Os primeiros beagles foram introduzidos primeiramente na França por volta de 1860 e em 1914 foi fundado o Clube Francês do Beagle. Por ser um cão que agrada a todos seus proprietários, rapidamente tornou-se o sabujo mais popular na França e no mundo. As pessoas apreciam o seu tamanho reduzido, seu temperamento, sua versatilidade, sua eficácia e velocidade.

Temperamento do Beagle
De acordo com seu padrão, o beagle é um cão alegre, audacioso, ativo, energético e determinado. É vivo, inteligente e de temperamento estável. É também corajoso, resistente e possui um bom faro. Apesar de teimoso não é agressivo; muito liberal e autónomo, o beagle não é muito amigo de grandes mimos ou carícias, mas deixa-se mimar e domar perfeitamente. É um cão que conduz a matilha e faz seu trabalho de caça sozinho, aos pares ou com todo o grupo. É pequeno mas também polivalente: caça lebre, coelho, raposa, cabrito selvagem e até javali. Por seu temperamento excelente e sua afetuosidade, o beagle é o animal de estimação de toda a família. Para se conviver bem com esta raça, é porém necessário dar um treinamento firme ou correrá o risco de ter um cão obstinado e possessivo em casa. Pode adaptar-se à vida da cidade, mas necessita de espaço para gastar a energia. Deve ser escovado uma vez ou duas vezes por semana, e suas orelhas necessitam de atenção regular.

Inteligência do Beagle
O beagle está entre as raças mais difíceis, com o menor grau de obediência. Durante o treinamento inicial, pode precisar de dezenas repetições de comandos simples antes de mostrar sinal de que faz idéia do que se trata. Não é raro que precise executar centenas de vezes um comando de forma correta, antes de se tornar confiável na sua performance. Para assegurar obediência é necessário muito treino,o que pode exigir muita paciência e tempo.

Cotidiano do Beagle
O Beagle é um cachorro que tem muita energia. Não à toa era e é utilizado para caçar lebres, perseguindo-as horas a fio. São comuns histórias de beagles que desaparecem por debaixo do nariz do dono quando avistam uma preá adentrando um matagal. Três dias depois, com o dono já dando o cachorro como morto, ele reaparece... com a preá na boca e o rabo balançando. Por isso não adianta colocar pimenta, tabasco, rapé ou pólvora nos objetos que o beagle potencialmente vai destruir; ele os destruirá mesmo assim. O que você deve fazer é passear com ele várias vezes ao dia - pelo menos duas, quando não três - de preferência em locais abertos, como parques, onde ele possa correr. Em casa acostume-o com brinquedos de morder ou mesmo com bolinhas de tênis e brinque com ele também, jogue a bolinha na parede, faça ele ficar doido pra pegar a bolinha, joga a bolinha longe e peça pra ele trazer de volta. Ele não vai trazer, então persiga-o e faça cabo de guerra com a bolinha na boca do infeliz. Eles adoram. Enfim, a idéia é exaurir a energia do beagle naturalmente e fornecer a ele objetos que ele possa destruir dentro da lei quando ele estiver ocioso em casa, sem é claro descuidar da parte pedagógica e não deixar de dar aquele esporro quando ele destruir o que não deve. Por oportuno, ao passear com seu beagle no parque, mantenha-o na guia e corra junto ou ensine o bicho muito bem ensinado, porque além de lépido o beagle é famoso por sua tenacidade - que às vezes se transforma numa teimosia quase espanhola - e brio, o que significa que o imbecil não vai pensar duas vezes antes de chamar o maior pastor alemão do parque pro pau. Na idade adulta, o beagle começa a se comportar como o sábio da montanha: acorda, come, bebe, vai pro sol, deita, acorda quando o sol muda de posição, deita no sol de novo... quando acordado, ele fica sentado ao sol com os olhos semicerrados e a cabeça levemente levantada, como quem diz "eu sou o rei desse lugar". O beagle é um excelente cão, mas não o deixe cinco minutos sem ter o que fazer porque ele é a verdadeira personificação - ou melhor, "cachorrificação" - da expressão "mente vazia é a oficina do diabo". Mente vazia é a oficina do beagle, e quem sofre é seu sofá, seus sapatos e principalmente sua lata de lixo

Características físicas do Beagle
Cabeça: possante sem ser grosseira, sem rugas nem dobras; crânio ligeiramente arqueado; stop bem marcado; nariz reto; focinho um tanto curto; mandíbulas fortes; lábios moderadamente descidos e trufa larga. Orelhas: longas, de inserção alta e textura fina, pontas arredondadas pendem encostadas nas bochechas. Olhos: castanhos escuros ou avelã, razoavelmente grandes, bem afastados com uma expressão meiga. Corpo: compacto, com traços de dignidade sem ser grosseiro; pescoço longo com pouca barbela; peito largo e profundo; dorso curto e poderoso. Cauda: forte, de comprimento moderado, inserção alta e portada alegremente. Bem-coberta de pêlos, principalmente na parte inferior. Pêlo: curto, denso e resistente. Cor: tricolor (branco, preto e marrom) e bicolor (branco e preto). Tamanho: de 33 a 45 cm. Peso: de 15 a 20 kg.

Curiosidades do Beagle

Dia 12 de junho é o dia do Beagle, na França.



QUERO COMPRAR UM BEAGLE

Pesquisa personalizada

Raças de cães - Poodle





História do Poodle
Acredita-se que o corte tradicional de pêlos em forma de bracelete nas pernas era usado antigamente nas caçadas na neve, onde a maioria do pêlo era tosado baixo para facilitar a natação do cão, mas as juntas, pulmões, coração e rins eram mantidas com pêlo alto para protegê-los do frio.

O pompom no fim do rabo servia como uma "bandeira" para ser avistado pelos donos enquanto o Poodle mergulhava no fundo da água. Apesar de se achar que seja uma raça de origens francesas, muitos perítos acreditam que o Poodle é originário da Alemanha ou da Rússia, mas podendo vir da Ibéria. Raças relacionadas são o Cão de água Português e o Cão D'Água Irlandês.


Temperamento do Poodle

São inteligentes, brincalhões, bons nadadores e caçadores, têm temperamento dócil com seu dono e para com as pessoas com quem estão familiarizados, além de procurarem a companhia de pessoas a quem estejam mais afeiçoado. Por serem tão inteligentes podem se entediar facilmente, e são bastante criativos em achar travessuras. São cães extremamente orientados às pessoas e, conseqüentemente, zelosos à elas.

São excelentes cães de guarda, e diferentemente de algumas raças de trabalho, normalmente não ficam apegados a uma pessoa só da família. Os Poodles de tamanho gigante e médio tendem a ser bons com crianças. Não requerem muito exercício como outros cães de caça, mas são ágeis e atléticos, e mesmo assim apreciam grandes quantidades de exercícios. São cães que demonstram grande afetividade com relação aos donos.


Características físicas do Poodle

As cores dos poodles variam entre preto, branco, marrom (ou chocolate), cinza e abricó. Cães com cores parciais (mescladas) existem, mas não são aceitos em exibições oficiais. O pêlo do corpo dos animais é naturalmente encaracolado. O pêlo das orelhas pode ser reto ou um pouco encaracolado. Com escovação o pêlo do cão continua ondulado ou encaracolado, porém fica mais macio.

Existem vários métodos de tosa para os poodles. Para apresentações em competições, existem apenas três tipos aceitos: o corte de filhote (para cães com até um ano de idade), o "corte Continental" ou "corte de Leão" (com a sua reconhecível juba) e a "tosa inglêsa de sela" (com braceletes nas pernas. Sem tosa regular, o cão fica com o pêlo "trançado" (semelhante à dreadlocks), assim como são os cães da raça Puli.


O tamanho da raça, de acordo com a FCI, pode ser:
  • Gigante (ou grande), variando de 45 à 60 cm na altura da cernelha;
  • Tamanho médio, que varia de 35 à 45 cm na altura da cernelha;
  • Tamanho miniatura (mini ou anão) entre 28 à 35 cm na altura da cernelha, e
  • Toy, cujo cão mede no máximo 28 cm na altura da cernelha.

Poodle de pêlo trançado

O Poodle de pêlo trançado é o Poodle cujo pêlo foi deixado crescer livremente, sem que fosse feita tosa, ficando com a aparência de tranças ou cordões (em inglês chama-se Corded Poodle, literalmente poodle "atado com corda").

Alguns Poodles têm pêlos que naturalmente se amarram, outros requerem que alguém trance seus pêlos, mas virtualmente todos os Poodles são capazes de ter o pêlo trançado desde que seu pêlo adulto já tenha se estabelecido. Uma vez feitas, as tranças não podem ser desfeitas, sendo necessária a tosa total para que o pêlo cresça normal.

Os historiadores acreditam que os primeiros cães desta raça eram trançados, porém, pela dificuldade inerente à manutenção deste tipo de pelagem, começaram a ser preferidos os de pêlo lanoso.


Utilidade do Poodle
Hoje em dia, Poodles são geralmente mantidos como cães de estimação. Entretanto, é uma raça versátil capaz de caçar, rastrear, proteger ou entreter. Nas alfândegas francesas, por exemplo, os Poodles são usados para encrontrar substâncias ilegais. Por causa de seu tamanho modesto, sendo mais adeqüados para vistoriar compartimentos de carros e trens, do que raças maiores como o Pastor Alemão. Sua inteligência e corpo atlético fizeram do Poodle uma raça popular em performances circenses. Podem competir bem em esportes caninos, como o agility, apesar de que sua natureza independente ou brincalhona pode algumas vezes distraí-los do foco e direção necessária para esses esportes.


Saúde do Poodle

Como qualquer cão de raça pura, alguns pontos em relação à sua saúde devem ser observados pelos donos e criadores. Apesar de serem normalmente saudáveis, cães mais velhos (não é raro ver um Poodle toy com mais de 16 anos) podem estar predispostos a certos problemas de saúde. Sempre consulte um veterinário antes de tratar doenças por conta própria.

Problemas de saúde freqüentes em Poodles toy: catarata, entropia, epilepsia, degeneração do disco intervertebral, atresia dos dutos lacrimais, Síndrome de Legg-Calvé-Perthes, luxação na rótula, atrofia progressiva da retina, trichiasis, e urolithiasis.

Para os exemplares do tamanho miniatura, os donos devem estar atentos a: catarata, distichiálise, entropia, epilepsia, glaucoma, degeneração do disco intervertebral, atresia dos dutos lacrimáis, Legg-Perthes, luxação na rótula, atrofia progressiva da retina, trichiasis, e urolithiasis.

Já os de tamanho médio ou gigante podem apresentar: Doença de Addison, cataráta, displasia da bacia, distichiálise, entropia, epilepsia, torção gástrica, persistência do duto arterioso, adenosíte sebácea e Doença de Von Willebrand. Todos os Poodles têm predisposição a desenvolver tumores na mama.

Se o dono não planeja cruzar sua fêmea deve considerar castrar o Poodle antes do primeiro cio. Isto reduz drasticamente as chances do aparecimento destes tumores.




Nome original: Caniche

País de origem: França e Alemanha

Padrão FCI
Grupo: 9 - Cães de companhia
Seção: 2 - Poodle

Variedades:
Tamanhos:
Grande
Médio
micro
Toy
Cores:
Branco
Apricot
Castanho
Cinzento
Preto


Fotos



Papel De Parede


Videos

video

video


Quer ver a foto de seu cãozinho aqui?
É super facíl, basta apenas que você envie as fotos por e-mail para o endereço

cachorrosnabusca@yahoo.com.br


Assim que ver os e-mail colocarei imediatamente a foto no site e todos poderão ver o quanto é lindo é o seu cãozinho!!
Pesquisa personalizada

Raças de cães - Pastor Alemão



História do Pastor Alemão

Suas origens remotam ao [Paleolítico], época em que os homens, durante as caçadas, eram acompanhados por matilhas selvagens que se alimentavam dos restos de alimentos na região da [Turígia]. Depois, no [neolítico], com a criação de [ovelhas], os alemães necessitavam de um cão forte e de movimentação rápida acompanhada de um mínimo gasto de energia, além de uma inteligência excepcional, para proteger o rebanho de animais selvagens ou invasores, e impedir que o próprio rebanho destruísse as plantações. Para essa função foi criada toda a família de cães pastores.

Durante 3 mil anos, os alemães foram aprimorando seus cães de pastoreio ninhada por ninhada, até a seleção definitiva, em 1882, por Max von Stephanitz. O Pastor alemao é uma raça de cães de guarda. É muito rápido, agil, forte e preparado, sendo considerado um dos cães mais inteligentes. Foi considerado 3 vezes o melhor cão para se adestrar. Um dos maiores cães de guardas na segunda guerra mundial recebeu a alcunha de 'el diablo' (o diabo, em português).

Devido a sua popularidade é comum encontrar ninhadas sem pedigree, o que é um alto risco para o comprador, que pode adiquirir um cão com desvios de temperamento - desde o mais dócil ao mais agressivo. A compra de um cão equilibrado e com a máxima garantia de sucesso só é segura se com pedigree.


A Criação do Pastor Alemão

O criador da raça que conhecemos hoje como Pastor Alemão foi o Capitão da Cavalaria Alemã Max von Stephanitz, que seleciou os melhores cães pastores da [Alemanha], tendo cruzamentos até com [Lobo_cinzento|lobos] para aumentar seu tamanho e agilidade; chegando no cão perfeito, o primeiro pastor Capa Preta: Horand von Grafath, conhecido também como Hektor von Nürburgring, que foi apresentado pela primeira vez ao público numa feira de novidades 1882, em Hanover, Alemanha.

Os descendentes de Horand mostraram todo as qualidades desejáveis num cão, e com isso, a raça ganhou um grande número de cães em pouco tempo. Em 1899 Max fundou a Verein für Deustcher Schaferhund, a sociedade que hoje é a maior do mundo em cães de uma só raça. Usado pelos alemães nas duas guerras mundiais, como mensageiro e cão de alarme, foi odiado pelos ingleses e franceses, foi proibido de entrar em alguns países por um tempo e teve seu nome trocado para Pastor Alsaciano, uma vez que era considerado inadequado um nome que evocasse lembranças ruins da guerra contra os alemães. Somente em 1930 o kennel club autorizou novamente o nome Pastor Alemão. Hoje está entre os três cães com maior número de registros de [Pedigree] em quase todos os países de cinofilia adiantada. É a raça mais conhecida e difundida no mundo todo.

As Qualidades do Pastor Alemão

Max von Stephanitz jamais selecionou cães apenas por estética ou aparência e porte físico, a não ser que as belezas externas refletissem as belezas internas. Em razão disso, o Pastor Alemão é a única raça que consegue reunir tantas aptidões, como cão pastor, cão de busca e salvamento e também farejador, graças ao seu olfato extremamente desenvolvido, guia de cegos, por sua inteligência e docilidade, cão de companhia por sempre estar querendo agradar o dono, cão de polícia, cão de guerra, e finalmente para guarda por sua agilidade no ataque e latido prolongado. São por esses e outros motivos que o Pastor Alemão é o maior exemplo da máxima: '''O cão é o melhor amigo do homem'''

Caráter e Temperamento do Pastor Alemão
Temperamento forte, caráter incorruptível, firmeza de nervos, atenção, fidelidade, coragem e alto espírito de luta são características marcantes da raça; todavia, embora não dado a amizades imediatas e indiscriminadas, quando em companhia de seu condutor deverá permitir a aproximação calma de estranhos, denotando confiança e perfeito controle nervoso mas, quando exigido, ardente e alerta, capaz e desejoso de servir com toda a força de seu caráter e temperamento.

Movimentação do Pastor Alemão

É desembaraçada, harmônica, ampla e elástica: parecendo, sem esforço, macia e ritmica. Trotador por excelência, sua andadura se processa pela forma mais simples; em 2 tempo, isto é, em diagonal. Ao propulsionar com o traseiro esquerdo avança o dianteiro esquerdo, tudo numa sequência rápida, rente ao chão, sem qualquer deles se elevarem alto, quer no seu impulso traseiro, quer no alcance dianteiro.

Atingindo bem a frente na mediana do corpo próximo ao centro de gravidade, o forte propulsor agarra-se ao chão e então, metatarso, joelho e coxa, entrando em ação empuxo fortemente para trás, transmitindo através da garupa ao lombo, dorso e cernelha um vigoroso impulso aos anteriores ocasionando a abertura dos ombros em sua máxima amplitude o que vem permitir às pernas dianteiras alcançarem o mais possível a frente em perfeito equilíbrio com o avanço traseiro, sem perda em rendimento; movimento esse mantido graças às perfeitas correlações angulares e a completa coordenação muscular do conjunto.

As pernas do cão Pastor Alemão não se movimentam em linhas paralelas e separadas como em outras raças, mas seus pés aproximam-se sempre da linha mediana do corpo, para a manutenção do equilíbrio e maior rendimento durante o trote e é por essa razão que, quando visto pela frente ou por trás, seus pés parecem movimentar-se juntos; não devendo todavia, nessa sequência, cruzarem-se, oscilarem os jarretes ou forçarem os joelhos para fora, o que seria falta.

Em todo esse movimento há sempre um ponto de apoio, todavia, nos melhores exemplares dotados de ideias angulações, posição de garupa e perfeita firmeza da linha superior, dando sequência rápida de passadas e ideal coordenação muscular, chega o momento em que o animal mantém-se completamente livre no ar sem nenhum apoio e a isso se denomina "Trote flutuante", condição somente alcançada em cães pertencentes a raça Pastor Alemão.

Provas de Trabalho do Pastor Alemão
As provas de trabalho servem para avaliar os cães de acordo com suas qualidades físicas e mentais, e não apenas por sua beleza. Para que se avalie um exemplar, é verificado se o cão tem movimentação e resistência adequadas ao trabalho, é fundamental que ele se apresente trotando boa parte do tempo. Isso por si só já torna o evento mais alegre e dinâmico do que o de outras raças. Além disso, existem eventos de temperamento, nas quais se avaliam a coragem e o equilíbrio dos cães. Outra distinção, bastante didática, é o juiz avaliar em voz alta cada cão, informando ao público seus aspectos positivos e negativos. Com esse procedimento, os criadores ficam sabendo, pelo menos de acordo com a opinião do juiz em questão, no que precisam evoluir, e até os leigos compreendem melhor o que se espera dos exemplares da raça.

Filhotes do Pastor Alemão

Nascem quase todos com a cor preta dominante. Peludos e com orelhas para baixo, devem estar naturalmente eretas até os 3 meses de idade. Caso elas não subirem, é recomendado colocar um talo feito em papelão cortado, de preferência no formato exato da cavidade auricular. Eles são muito exploradores, por isso tome cuidado extra.

Resumo


CARACTERÍSTICAS FÍSICAS
  • O pastor alemão mede, em média, de 60 a 70 cm de altura
  • Possui orelhas de tamanho médio, voltadas para cima.
  • O focinho do pastor alemão é comprido
  • A calda é longa e com grande quantidade de pêlos
  • A cor mais comum é marrom claro com macha preta nas costas
COMPORTAMENTO E TEMPERAMENTO:
  • O pastor alemão é de uma raça fácil para ser adestrada, pois é muito inteligente
  • Muito utilizado como cão de guarda
  • Muito ágil, rápido e esperto
  • Tem um olfato bem desenvolvido, sendo utilizado no resgate de corpos soterrados ou para procurar drogas ou armas
  • Quando bem adestrado é muito obediente
  • Tem facilidade para aprender comandos e orientações em treinamentos específicos.
  • É um excelente cão para companhia
  • Possui um latido prolongado. Importante para avisar que algo de errado está acontecendo
  • Diante destas qualidades é muito utilizado pelas polícias em diversos países
Pesquisa personalizada

Raças de cães - Bull Terrier





História do Bull Terrier

As raças Old English Bulldog e White English Terrier, já extintas, foram cruzadas para dar origem a uma nova, chamada Bull and Terrier. É sabido que consta em sua genética a raça Dálmata. Por volta de 1860, a raça Bull and Terrier se dividiu em dois ramos: o Bull Terrier branco puro, e outro com pelagem manchada colorida, que perdurou por mais setenta anos nas rinhas de cachorro até que finalmente foi reconhecido como uma raça legítima chamada Staffordshire Bull Terrier. Os registros mais antigos de Bull Terriers datam do período entre 1874 a 1876. Apesar da raça ter sido desenvolvida para rinhas, o Bull Terrier tem tendências a ser companheiro.


Aparência do Bull Terrier

Bull Terriers são musculosos, com pelagem curta e densa. As cores de sua pelagem são: branca pura, podendo apresentar uma pequena mancha colorida na cabeça mas não no corpo;tigrada;dourada;preta; estas cores combinadas com branco nos cães são chamadas bicolores; preta e canela;preta e tigrada; estas combinadas com o branco são chamadas tricolores. Cães brancos e tigrados são preferidos. Sua característica mais notória é sua cabeça em formato de ovo quando observada de frente, levemente achatada em cima, trufa (nariz) preto, nunca de outra cor, sempre voltado para baixo (linha do solo), orelhas eretas e pontudas, olhos triangulares, aparentando estarem semi fechados. Não existe um padrão para peso e tamanho, mas a média do standard varia de 51 a 61 cm e entre 20 e 32 kg. A variação miniatura do Bull Terrier deve possuir as mesmas características, porém com um peso e tamanho menor, no máximo 35 cm na cernelha.



Temperamento do Bull Terrier

São amigáveis e possuem um maravilhoso senso de humor. Sua força física é proporcional à sua notável inteligência, e ambas necessitam estar em constante atividade. Podem ser teimosos e não são considerados ideais para o dono de “primeira viagem”. A característica da raça é ser mansa, mas não se pode esquecer que esta raça foi originalmente criada para rinha, o que pode causar reação se o cão for combatido. São muito afetuosos e adoram companhia humana, portanto, não é uma boa idéia deixá-los sozinhos por longos períodos de tempo (eles podem fazer muitos estragos com suas mandíbulas, caso se sintam entediados). Também são recomendáveis para fazer companhia a crianças, pois sua força lhes garante um alto nivel de tolerância a dor, garantindo resistência para as brincadeiras. Mas, como qualquer animal de estimação, tomar cuidado é essencial.


Saúde do Bull Terrier

Normalmente, os bull terriers não possuem problemas com doenças físicas (como a displasia, por exemplo). Um problema comum nesta raça é a tendência a desenvolver alergias e doenças de pele. Mordidas de insetos, como moscas ou mosquitos, podem produzir alergias que causam a coceira. Este quadro pode ser anulado se o cão for mantido longe destes insetos, mas obviamente o que definirá isto serão fatores ambientais e/ou climáticos, onde normalmente a exposição se torna praticamente inevitável. Sua expectativa de vida varia entre 10 e 14 anos em média, no entanto, a cadela mais velha que se teve registro viveu até os 17 anos. A pelagem é de fácil manutenção, mas cuidados simples como a escovação podem deixá-la praticamente perfeita. Existem alguns tipos de óleo à venda em pet shops e veterinárias que também ajudam a melhorar a pelagem. Recomenda-se não aplicar nenhum produto que não contenha a lista de contra-indicações. Em caso de dúvida, deve-se sempre procurar o veterinário. A raça necessita de uma quantidade razoável de exercícios, porém, exigir muito de sua musculatura na juventude pode enrijecer e esticar seus músculos. Os cães mais velhos também necessitam de exercícios, porém em doses mais reguladas, enquanto os mais novos podem se exercitar por horas a fio. Procure manter um equilíbrio entre dieta e exercícios, pois a raça ganha sobrepeso facilmente. Também verifique olhos, nariz e boca regularmente por sinais de infecção. Bull Terriers se alimentam de qualquer coisa. Ração canina contendo parte ou todos os elementos é a mais indicada, ossos para brincadeiras (assim esses cães gastam um pouco de sua energia e deixam outros objetos intactos), porém, deve-se ficar atento a alterações na pelagem. Combine com exercícios e um lugar quente para descansar, e você terá a companhia de um cão extremamente feliz e saudável.



Curiosidades do Bull Terrier
Apesar do nome causar confusão, Bull Terriers não estão diretamente relacionados aos American Pit Bull Terriers. No entanto, ambas as raças tem a mesma ascendência.Bull Terriers já apareceram em vários filmes de Hollywood, incluindo Oliver, A Incrível Jornada e Babe: Um porquinho atrapalhado na cidade.Fritz é um Bull Terrier da ficção, criado pelo autor norte-americano, Chris Van Allsburg (autor de O Expresso Polar), e aparece em todos os seus livros.Bull Terrier é a única raça registrada com olhos triangulares.O cachorro Shark do desenho Eak, The Cat, era da raça Bull Terrier.O cachorro Sadam do personagem Massaranduba do Casseta e Planeta era também um Bull Terrier.No desenho do Beethoven também há um bullterrier.
Pesquisa personalizada

Raças de cães - Boxer




Boxer é uma raça de cão de médio porte e pêlo curto, de cor dourada ou tigrada, de mandíbula proeminente, corpo quadrado e de porte atlético.

História do Boxer

O primeiro aparecimento de exemplares da raça foi em 1895, por amabilidade do Clube Alemão do São Bernardo que permitiu, durante uma exposição monográfica da raça, a exibição de alguns exemplares de Boxer: Contudo, no início não se alcançou o êxito desejado, no intuito de melhorar e popularizar a raça. Ganhou "Múhlbauers Flocki", filho de "Tom" um Bulldog branco, propriedade do Dr Toenniessen e da fêmea Bierboxer (moderno Bullenbeisser) "Alt's Schecken", filha de "Alt's Flora", uma fêmea tigrada levada para a Alemanha a partir do sul da França em 1887 por George Alt, natural de Munique. "Flocki" seria o primeiro Boxer inscrito no Livro de Origens. Em 17 de Janeiro de 1896 seria fundado na cidade de Munique (capital da Baviera) o clube alemão da raça, o Boxer Klub Sitz Münche, e dois meses mais tarde, a 29 de Março, organizava-se a primeira exposição monográfica, actuando como juíz Elard König. Em 1902 fixaram-se, de forma provisória, as primeiras bases raciais, sendo publicado em 1904 o primeiro Livro de Origens (Zuchbuch), registo genealógico da raça, ao mesmo tempo que surgia o "Boxer Blatter, boletim do clube onde era publicado o primeiro estalão oficial. Durante estes anos de início na criação e selecção apareceram certas controvérsias, entre o cada vez mais numeroso grupo de aficionados, em relação à estrutura que o Boxer deveria ter: havia quem preferisse o tipo semelhante ao Bulldog clássico; outros, pelo contrário, inclinavam-se mais para o tipo do antigo Bullenbeisser; por último, havia os que aspiravam a um cão diferente, mais evoluído e elegante. Finalmente, o clube inclinou-se por esta última versão e esse foi o seu ponto de referência até aos nossos dias. É curioso observar como a cor branca foi dominante nos primeiros anos de história da raça, altura em que o conceito de funcionalidade primava em relação a outros factores, chegando inclusivé a ser permitido que o branco ocupasse a maior parte do manto do cão com a intenção de não afastar da criação, exemplares que pudessem fornecer outra série de características interessantes. Pouco tempo depois (anos 1925 e 1926), o clube efectuou uma série de revisões no estalão e começou a tentar a sua eliminação através duma intensa selecção, meta que ainda não foi totalmente atingida pelos criadores de Boxer, uma vez que ainda continuam a nascer cachorros brancos. Depois da II Guerra Mundial, o Boxer é já uma raça popular nos cinco continentes, com um altíssimo nível de criadores em países como a Alemanha, Holanda, Itália, Estados Unidos, etc. Durante este período a raça vive os seus melhores momentos, graças à homogeneidade conseguida no tipo dos exemplares. Em 1950 nasce na cidade de Strassbourg a ATIBOX (Associação Técnica Internacional do Boxer) cuja finalidade é a manutenção dum estalão morfológica e psiquicamente, belo e funcional, marcando as directrizes a seguir na criação e evolução da raça, com critérios uniformes para os diferentes países. Esta associação agrupa todos os clubes de Boxer a nível mundial e celebra anualmente uma assembleia geral na qual se encontram representados todos os seus filiados. Além disso, organiza uma exposição de beleza e um campeonato de trabalho.


Origens do Boxer

Pelo menos cinco raças participaram na criação do Boxer: o Bullenbeisser (mordedor de touros), o Baerenbeisser (mordedor de ursos), o Brabanter da Bélgica, o Dantzinger da Polónia e o Bulldog Inglês. Os Bullenbeiasers (há quem o defina como a sua versão moderna) eram famosos no país germânico desde a Idade Média. Eram provenientes duma população de dogues existente na Alemanha, Bélgica, Países Baixos e no leste de França, descendentes dos chamados "Cannis ursiturus", (cães de urso) e "Cannis porcatoris" (cães dejavali), e utilizados nessa época como cães de agarre. Foi seleccionado mais pela sua funcionalidade que pela sua beleza, uma vez que tanto era utilizado para a caça de grandes presas, como na guarda do gado bravo, assim como "espectáculos" de lutas contra os touros. Crê-se que a as suas origens poderiam estar nos Mastins Alemães importados da Inglaterra. O Brabante da Bélgica, tal como o Dantzinger, era um cão menor, ágil e rápido. De cor dourada, era utilizado como condutor nas manadas e em alguns lances de caça maior. Cortava-se-Ihes o rabo e as orelhas quando eram jovens. E, por último, o Bulldog lnglês (do tipo antigo), um pouco maior e mais pesado que o Bulldog moderno, que chegou à Alemanha a partir de 1820. Alguns historiadores e cinófilos sustentam a teoria de que Presas e Alãos Espanhóis, tal como o Dogue de Bordéus, também deram sangue para o projecto racial do Boxer.


Padrão Oficial do Boxer

O Boxer é um cão de talhe médio, compacto, de figura quadrada, com ossatura robusta e de pelagem curta. A musculatura é seca, poderosamente desenvolvida, modelagem nitidamente definida. Sua movimentação é enérgica, poderosa e nobre. O Boxer não é rústico, pesado, muito leve, nem lhe falta substância. Proporções importantes: a) Comprimento do tronco: a construção é de figura quadrada, isto é, a horizontal da cernelha e as duas verticais, uma tangenciando a ponta do ombro e a outra a ponta do ísquio, formam um quadrado. b) Profundidade de peito: o peito alcança abaixo dos cotovelos, sendo a metade de altura da cernelha. c) Comprimento da cana nasal: a proporção crânio-focinho é de 2:1; medidos o crânio do stop, canto medial do olho até o occipital e da ponta da trufa ao stop. Temperamento: é da maior importância e ponto de maior atenção. A ligação e a fidelidade do Bóxer para com seu dono e seu território, sua vigilância, sua intrépida coragem como defensor e guardião, é conhecida a muito tempo. Dócil no meio familiar, mas desconfiado para com estranhos; de temperamento alegre e amistoso nas brincadeiras, mas terrível quando desempenha uma missão. Sua docilidade, energia e coragem, sua mordacidade natural, a acuidade de seu olfato o torna um cão fácil de educar e de induzir. É igualmente agradável por suas exigências mínimas, territorialidade e tradição como o cão de guarda, de defesa e de serviço. De caráter franco, não reserva espaço para a falsidade ou traições, mesmo em idade avançada. Cabeça e Crânio: é a parte do Boxer que lhe confere o aspecto característico: bem proporcionada ao tronca sem parecer leve nem muito pesada. O focinho, o mais largo e poderoso possível. A estrutura da cabeça obedece a relação proporcional entre as medidas do focinho e as do crânio. Visto de qualquer ângulo, o focinho guarda uma proporção correta com o crânio, isto é, não pode parecer muito pequeno. A pele, normalmente, não apresenta rugas. Entretanto, com o movimento natural das orelhas, conforme cada posição, pode haver formação de rugas. Com origem na face dorsal da raiz do focinho, rugas naturais, levemente marcadas, descem simetricamente pelas faces laterais. O crânio bem modelado, isométrico, com as faces planas, sem relevo, levemente arqueado, sem ser curto, abobadado, ou plano; moderadamente largo e o occipital moderadamente pronunciado. Stop: nitidamente marcado, formado pelo frontal e a cana nasal. A cana nasal não deve ser encurtada, como no Buldogue, nem caída para a frente. O comprimento da cana nasal é igual a metade do comprimento do crânio (relação C/F=2:1). O frontal apresenta um sulco mediano, sutilmente, profundo especialmente entre os olhos. Trufa: fica um pouco mais alta, em relação à raiz, larga, preta, levemente arrebitada, com narinas largas, separadas pelo fino sulca mediano da trufa. Focinho: bem desenvolvido nas três dimensões de maneira equilibrada. Sua forma é determinada pela: a) forma e articulação dos maxilares; b) disposição dos caninos inferiores e alinhamento das arcadas dentárias; c) maneira com que os lábios se amoldam a essa estrutura. Os caninos, de bom tamanho, são o mais afastado possível. O plano anterior do focinho é, portanto, largo, quase quadrado, formando um ângulo obtuso com a linha superior do focinho. O contorno do lábio superior pousa no contorno do inferior. O lábio inferior, no terço anterior da mandíbula, curvada para cima, não pode ultrapassar muito à frente nem, tão pouco, ocultar-se sob o lábio superior. O queixo projeta-se à frente do lábio superior, de maneira bem nítida, tanto de frente, quanto de perfil, sem por isso assemelhar-se ao do Buldogue. Tanto os incisivos inferiores, quanto a língua devem ficar ocultos, enquanto a boca estiver fechada. Os seis incisivos são bem alinhados, inclusive os incisivos pinça, entretanto, os superiores formam um leve arco, enquanto, os inferiores alinham-se em reta. Os dentes são fortes, sadios e normalmente inseridos. A mandíbula avança em relação à maxila e assume um forma levemente encurvada para cima. Lábios: os lábios arrematam a forma do focinho. O superior é espesso, formando um acolchoado, que preenche o espaço do prognatismo entre a arcada superior e inferior e fica apoiado nos caninos inferiores. Dentes: o Boxer é naturalmente prognata. A maxila é larga desde a raiz, mantendo, essa largura, em toda sua extensão, diminuindo muito pouco, na direção da ponta do queixo. Tanto a maxila quanto a mandíbula são muito largas na ponta do focinho. Faces: fortemente desenvolvidas, em virtude da robustez dos maxilares, sem que com isto, sejam fortemente pronunciadas em relevo saliente: apenas fundem-se ao focinho em leve curva. Olhos: marrom escuro, com a orla das pálpebras escura, de tamanho médio e inserção faceando com a superfície da pele. De expressão enérgica e inteligente, sem ficar com a expressão carrancuda, ameaçadora, penetrante. Orelhas: inserção alta, preferencialmente pequenas e espessura delgada. Em repouso, são portadas pendentes bem rentes às faces. Em atenção, voltam-se para a frente, caindo e fazendo uma dobra bem marcada. Quando operadas, são cortadas em ponta, de comprimento moderado, com o pavilhão auditivo de largura moderada e são portadas eretas. Pescoço: com a nuca bem evidenciada, por uma curva elegante, na linha superior; de seção redonda, comprimento e largura médios; forte e musculado, pele ajustada em toda a extensão, sem ser exageradamente lassa, e sem barbela. Tronco: de construção quadrada, compacto e membros retos. Cernelha: bem marcada. Linha superior: reta, dorso e lombo curtos, largos e bem musculosos. Garupa: levemente inclinada, larga, com tênue, quase reto, arqueamento. O osso pélvico é longo, largo, sendo mais largo nas fêmeas. Peito e antepeito: profundo, descendo ao nível dos cotovelos; e igual à metade da altura da cernelha. Antepeito bem desenvolvido. Costelas: bem arqueadas, sem ser em barril, com as articulações bem anguladas para trás. Linha inferior: descreve uma curva elegante, ligeiramente esgalgada. Lombo: curto, compacto e rígido. Cauda: de inserção mais para alta que baixa, amputada, portada acima da horizontal. Membros Anteriores: visto de frente, os membros anteriores devem ser retos e paralelos, com uma forte ossatura. Ombros: com escápula longa e inclinada, bem amoldada ao tórax, sem ser muscularmente carregado. Braços: longos, com uma forte ossatura, articulações firmes e o úmero fazendo um ângulo reto (90°) com a escápula. Cotovelos: bem ajustados, trabalhando paralelos, rente ao tórax. Antebraços: verticais, longos e fortemente musculados por musculatura seca. Carpos: fortes, bem marcados, embora sem volume. Metacarpos: curtos, quase verticais. Patas: pequenas, redondas, compactas, e almofadas plantares com a sola bem resistente. Posteriores: musculatura muito forte, músculos rígidos, com relevo bem modelado. Coxas: longas e largas. Articulações coxofemorais e dos joelhos o mais fechada possível. Joelhos: com o exemplar em stay, deve tangenciar a vertical da ponta do ílio. Pernas: muito musculosas. Jarrete: forte, bem definido, com a ponta não voltada para cima e o ângulo próximo aos 140°. Metatarso: curto, pouco inclinado fazendo um ângulo com o solo de 95° - 100°. Patas: levemente mais longa que as dos anteriores, com almofadas robustas. Movimentação: vigorosa, com muita propulsão e nobreza. Pele: ajustada, elástica e sem rugas. Pelagem: Pêlo: curto, duro, brilhante e bem assentado. Cor: fulvo (dourado) ou tigrado. Dourado se apresenta em diversas tonalidades, indo do vermelho escuro ao amarelo claro; as tonalidades médias, o vermelho amarelado, são as mais características. A máscara preta. Tigrado se desenha em listas transversais, de cor escura ou preta, sobre as diversas tonalidades já descritas. O contraste entre a cor das listas e a cor base deve ser nítido. As marcas brancas não devem ser proscritas; elas podem, até mesmo, ser muito agradáveis. Talhe: altura medida na cernelha, na vertical que passa pelo cotovelo; Machos: 57a 63 cm; Fêmeas: 53 a 59 cm. Peso: os machos com altura em torno de 60 cm devem pesar acima de 30 quilos; as fêmeas de cerca de 56 cm, aproximadamente 25 quilos. Faltas: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta, e penalizada na exata proporção de sua gravidade.

Temperamento do Boxer

Boxers são uma raça energética e brincalhona, e tendem a ser muito apropriados no trato com crianças, recebendo até a alcunha de Cão-Babá. Seu adestramento é recomendado em tenra idade, pois um boxer costuma ter personalidade forte, fazendo com que seu treinamento seja um pouco mais difícil depois que o cão fica adulto. O boxer é uma raça de guarda e companhia. Boxers são cães pacientes com crianças, inteligentes, afetuosos e muito ligados aos seus donos. São considerados bons cães de guarda, desde que recebam adestramento adequado. São protetores do lar e da família, pois são territoriais ainda que de boa índole. Boxers normalmente são pacíficos mas são valorosos por suas aptidões físicas e sua fidelidade característica. Embora o Boxer precise de exercícios para manter-se em forma, há inúmeros relatos de boxers que vivem bem em apartamentos. O ideal é que o cão tenha alguma atividade física freqüente, como passeios diários. Boxers são especialmente apropriados para exercícios como o agility e outros esportes caninos, onde se destacam através de inúmeros praticantes pelo mundo que canalizam seu temperamento brincalhão numa atividade educativa e saudável. Estas, são muito benéficas à raça como forma de "gastar" sua energia, adestrá-lo e sociabilizá-lo. Os cães da raça boxer são cães de fácil manutenção, além de afetuosos, confiáveis, inteligentes, atléticos e fiéis.


Potenciais problemas de saúde do Boxer

Boxers são suscetíveis a tumores. Entre seus possíveis problemas de saúde também estão a displasia coxo-femural e a cardiomiopatia. Potenciais donos de boxer podem se sentir tentados a escolher outra raça de cachorros por causa de potenciais problemas de saúde, mas devem pensar novamente e reconsiderar sua decisão. A incidência dessas doenças é baixa, e ao se adquirir um cão de criadores idôneos, que forneçam certificados de saúde para seus exemplares, aumenta-se muito as chances de ter um animal saudável e longevo.


Curiosidades do Boxer

O Boxer foi uma das primeiras raças a serem utilizadas como cães da polícia alemã. Seu treinamento para guia de cegos também foi bem sucedido.


QUERO COMPRAR UM BOXER


Acesso Rápido!

Cães
Alimentação para Cães
Livros
Jóias / Bijuterias
Jogos para Celular
Celular
CDs Emagrecedor Natural / Shake
Ovo de Páscoa
Câmera Digital
Coelho / Chocolate de Páscoa
Arranjos / Cestas de Páscoa
FilmadoraFogão
Acessórios para InformáticaMusculação / GinásticaVideokê
TV
Freezer
Home Theater
Auto-DVD Player
MicroondasLiquidificador
DVD Player
Lavadora de RoupasEsterilizador / Purificador de ArCondicionador de Ar
Som Automotivo
MP3 Player / MP4 Player
Adega de Vinhos
Videogame
Depilador Elétrico
Barbeador Elétrico
Jogos Diversos
GPS
DVDsBlu-Ray
Higiene / Saúde para Bebê
Brinquedos para Bebê

Babá Eletrônica
Utensílios Diversos para a Mamãe
Automóvel Novo Automóvel Usado
Moto Nova
Moto Usada



Pesquisa personalizada